x-erros-comuns-em-traducoes-juramentadas14941

5 erros comuns em traduções juramentadas

A tarefa do tradutor é uma atividade que envolve grandes desafios, pois traduzir se revela como um ato para além de uma simples compreensão de um texto em um idioma vertendo-o para outro. Um bom tradutor sabe que conservar a certeza de que nada sabe em definitivo é uma boa maneira de iniciar um trabalho de tradução, seja para um manual, livro ou para certidões e históricos, dentre outros documentos.

Em parte, a dúvida é um elemento primordial para que o tradutor questione palavras que não podem ser traduzidas ao pé da letra, por exemplo. Esse cuidado se estende com ainda mais esmero nas traduções juramentadas, pois além do possível constrangimento que certos erros podem criar, uma tradução problemática pode gerar prejuízos incalculáveis aos clientes. Confira abaixo como evitar esses erros.

O que é tradução juramentada?

Antes de tudo, é preciso saber de fato qual a especificidade da tradução juramentada. Diferentemente de uma tradução simples, as traduções juramentadas — também conhecidas como “tradução pública” — só podem ser realizadas por um tradutor matriculado e nomeado pela junta comercial do seu Estado (e somente após aprovação em concursos públicos).

Somente um tradutor juramentado tem autoridade para traduzir documentos oficiais, como certidões (de nascimento, de casamento e de óbito, por exemplo) e contratos comerciais. Por se tratar de documentos (lembre-se que, nesse caso, uma falha pode inviabilizar a permanência de alguém no país), descubra quais erros evitar você deve evitar com as dicas abaixo.

1. Palavras traduzidas ao pé da letra

Este é um dos pontos mais fundamentais que serve para qualquer tipo de tradução. Um exemplo disso é um recente acordo comercial, entre o Mercosul e cinco países africanos, que foi interrompido porque existiam cerca de 205 erros de tradução. Entre eles, a tradução de oil (“óleo”, em inglês) como se fosse azeite. Um erro pode custar muito caro as partes envolvidas.

2. Custo x benefício nas traduções juramentadas

Como um complemento ao item anterior, vale prestar atenção à qualidade do serviço prestada para que a sua urgência não esbarre no perfil pouco qualificado do tradutor. Assim, fica a dica universal: nem todo nativo no idioma desejado possui qualidades para uma boa tradução, uma vez que existe, sim, uma etapa de edição para dar fluidez ao texto.

3. O uso do dicionário

As palavras podem confundir e enganar o tradutor. Assim, um profissional nunca abre mão do dicionário ao seu lado — e tampouco deposita suas confianças nos tradutores automáticos. Boas traduções requerem certas adaptações para que o sentido da mensagem seja mantido.

4. A falta de revisão

O serviço de revisão está entre os erros mais comuns e, em parte, se deve ao fato de que muitos acreditam que o conhecimento em diversos idiomas garante pleno conhecimento nos textos. Mas não se engane: a revisão é uma etapa mais do que necessária. Muitos serviços de traduções juramentadas trabalham, inclusive, com uma etapa paralela de revisão, o que desafoga o tradutor para se concentrar exclusivamente nas traduções de qualidade.

5. A múltipla especialização

Para traduções juramentadas, é mais que essencial contar com um serviço feito por quem conhece o idioma estrangeiro por completo.

Em busca de múltiplas qualificações (como a especialização em dois ou três idiomas diferentes), os tradutores podem perder o foco na compreensão e expressão devida que cada idioma abriga. Vale, portanto, focar em um idioma.

Seguindo essas dicas, é possível evitar alguns dos erros mais comuns realizados em traduções juramentadas.

E você? Conhece mais algum tipo de erro que os profissionais devem evitar em traduções juramentadas? Compartilhe conosco!

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on print
Share on email